sexta-feira, 6 de maio de 2011

PAINEL SOBRE LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS.

Neste mês, vamos abrir um grande painel de idéias, com fins de contribuir para a melhoria dos mecansimos de leitura e interpretação de textos. Espero, com isto, poder agregar valor utilitário do blog à vida dos leitores.

O domínio das ferramentas de otimização da leitura e interpretação de textos representam, hoje, um forte aliado ao crescimento pessoal e profissional.
Ler e entender com fluência o que se leu são as tarefas mais requisitadas pelos os que esperam de você demonstração de suas habilidades profissionais.
A leitura, hoje, precisa ser vista com o mesmo olhar evolutivo da nossa era. Não pode mais ser considerada um nicho exclusivo da intelectualidade, sob pena de carregar consigo o pesado fardo do impedimento ao crescimento social, econômico e cultural de um povo.
Afirmar que o povo não lê, também é jargão  vencido pelo tempo. O povo lê sim. Embora a qualidade de entendimento do que lê possa ser largamente questionada.
A era da massificação da informação faz com que o povo seja impelido a ler até o que não quer.
Como não ler os insistentes apelos publicitários das datas comemorativas?
Impossível ficar alheio às noticias do cotidiano, quando a mídia reluta em nos convencer que a maioria destas notícias tem íntima relação com as nossas vidas. Ninguém perguntou ao povo, por exemplo, se a morte de Osama Bin Laden representou uma forte alavancagem à melhoria de vida das famílias brasileiras.
Esta notícia não foi lida pelo povo. Ela foi lida para o povo. A única alternativa que restou foi a releitura dos aspectos sombrios que rodearam este fato.  
Estes e outros exemplos podem ser dados para fundamentar a necessidade de se estruturar melhor os programas oficiais de fomento à leitura. Fica visível que não é o volume de leitura que torna um cidadão um hábil leitor.
Algumas sugestões ajudam a otimizar a leitura e interpretação de textos:
HIGIENIZAR AS INFORMAÇÕES.
O grande volume de informações derivadas das mais variadas fontes constituem um entrave à sua  compreensão.  A incerteza da veracidade das muitas versões pode dar ao leitor a sensação de impotência, quanto ao real parâmetro de interpretação dos fatos.
Assegure-se, então, o quanto puder, de que a versão que você conhece é a mais aproximada das comprovações. Não adianta fomentar versões impregnadas de “sujeiras”. Com certeza, elas impedirão você de entender a mensagem nos seus meandros e na sua subjacência.
ACOMPANHAR-SE COM QUEM SABE.
Normalmente, o leitor é levado a  uma impressão de que conhece tudo que leu. Às vezes, esta impressão impede o leitor de questionar-se sobre o domínio que tem das palavras. Acompanhar-se com quem sabe deve se constituir uma ferramenta de combate a esta impressão.  Tenha como seu acompanhante um DICIONÁRIO.
MANTER-SE ATUALIZADO.
Exercitar a compreensão das coisas demanda ter coisas para compreender. Ficar isolado nas suas idéias torna a interpretação  do que se lê uma via de mão única. Sempre o leitor será levado a crer que ele entendeu e os outros é que não entenderam. Exercitar leva à perfeição. Para melhorar o nível de interpretação do que se lê, o melhor atalho é oportunizar-se ao confronto com os mais variados fatos, com as mais diferentes idéias e com as mais novas informações.
 Estas são as primeiras idéias. Logo, a complementação deste texto será postado.

3 comentários:

  1. LER É DETALHE

    De fato há uma grande diferença entre ler e entender o que leu. Tudo depende muito da visão de mundo que uma pessoa possui, ou também do nível cognitivo? Existem muitas incertezas quando o assunto é leitura, mesmo porque a visão e compreensão do leitor mudam constantemente. Um exemplo disso é quando se efetua a leitura de um livro, artigo, ou qualquer texto e expressa seu entendimento do que leu, após algum tempo se a mesma leitura for feita, mostrará uma melhor compreensão ou ainda outra compreensão diferente.
    Fazer uma releitura é abra a mente para ver aspectos que antes não foram vistos, é como olhar para a estante da sua casa, e observar por um bom tempo, isso fará com que você veja detalhes que nunca havia percebido antes, como o design de um vaso, detalhes de um cinzeiro. O senso do leitor abre para compreensão de coisas que antes eram imperceptíveis.
    Ler é algo que requer muita dedicação, mas vale a pena, pois melhora a linguagem, a escrita, a interpretação, a expressão e diminui a alienação cultural, pois o leitor agrega novas descobertas, novas aprendizagem, novas compreensões e entendimentos, ou apenas valoriza o que havia não havia percebido. Ler é detalhe. O bom leitor deve estar atento aos detalhes para ver novas concepções de um tudo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto, professor. penso também que a questão da massificação das informações é muito preocupante. A propaganda do governo federla, por exemplo " A fonte da sabedoria é o professor" "Um projeto de arquitetura, o professor" Como será que essa informação midiática se processa nas mentes das pessoas que conhecem a realidade em que se encontra a educação? Talvez a verdade seja de que os discursos que vemos e ouvimos não passam de um grande sonho que a cada dia se torna o pior
    Sobre a eliminação do inimigo número um dos Estados Unidos pode-se dizer, certamente, que existe um outro lado da história que talvez não se poderá conhecer.
    E de tudo isso, amenizar e despertar as mentes dos jovens para o mundo e para o ser humano , se torna uma tarefa sempre mais desafiadora diante de tantas informações que correm mais rápidas que os segundos. Professor, vou segui-lo até que eu tenha conseguido fazer algo que promova, possibilite tempos de leitura.

    ResponderExcluir
  3. Helena,
    É muito confortante ter você conosco. Aguardo seu material para publicação. Você é uma das poucas pessoas que reúne condições técnicas para tratar sobre leitura.
    Valeu.

    ResponderExcluir